Vários donos de carros estão preferindo conservar seus atuais do que trocá-los por novos, de acordo com estudo

Com a crise, serviços como lavagem a seco têm tido mais procura em várias regiões do Brasil
Divulgação
Com a crise, serviços como lavagem a seco têm tido mais procura em várias regiões do Brasil

Se as vendas de carros têm caído por conta da crise econômica que assola o Brasil, em contrapartida, quem tem uma franquia de lavagem a seco, ou que esteja ligada à conservação automotiva, tem se dado bem ultimamente. Um dos exemplos é do empresário Marcos Mendes, que desenvolveu uma fórmula capaz de acabar com a sujeira na pintura com apenas 300 ml de produto. Nos dois primeiros meses de 2016, sua franquia, a Acquazero, faturou 20% a mais do que o mesmo período do ano passado.

Além do aumento do volume de clientes interessados em conservar o carro atual com lavagem a seco , Mendes também observou que o valor médio gasto também subiu de R$ 120 para R$ 180, um aumento de 50% que se explica, inclusive, pela variedade de serviços que tem oferecido.

Outro profissional do setor de conservação automotiva, Paulo Bergan, da WTC Service, especializada em manutenção, também constatou um aumento de 20% na procura pelos serviços que sua empresa oferece. Um dos seus clientes, Luis Tocci, pretendia trocar de carro em 2016, mas decidiu investir R$ 530 na reperação do seu Nissan Sentra 2009 e não se arrependeu.

Também em forte expansão está a franquia Doutor Lubrifica. Conforme Carlos Diego, diretor de franquias da marca, hoje as operações contam com 60 lojas, mas até o final do ano a expectativa é de que o número triplique. Além disso, ele diz que o número de clientes atendidos por mês passou de 6 mil no início da operação da franquia para 8 mil atualmente e que espera chegar a 200 lojas até o fim do ano.

Vendas em queda

A Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores, Anfavea, divulgou o balanço da indústria automobilística brasileira no primeiro semestre. Os dados mostram queda de 25,4% no licenciamento de carros novos: foram 983,5 mil unidades este ano contra 1,32 milhão em 2015.

Em junho foram vendidas 171,8 mil unidades, aumento de 2,6% frente as 167,5 mil unidades de maio, e baixa de 19,2% contra as 212,5 mil de mesmo período de 2015.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.