Focada em SUVs e crossovers, Renault revela novidades que estarão no Salão do Automóvel. Kwid e Captur serão nacionais, enquanto Koleos virá da Coreia do Sul

Carlos Ghosn, CEO mundial da Renault-Nissan, revela que a Renault irá lançar Kwid, Koleos e Captur em 2017, apostando mais no segmento de SUVs no Brasil.
Nicolas Tavares/iG Carros
Carlos Ghosn, CEO mundial da Renault-Nissan, revela que a Renault irá lançar Kwid, Koleos e Captur em 2017, apostando mais no segmento de SUVs no Brasil.

A Renault estava precisando muito de uma renovação em sua frota, que ainda conta com o cansado Clio como carro de entrada. Aos poucos foram mudando, com a chegada da nova geração de Sandero e Logan, o Duster reestilizado e a picape Duster Oroch. Tem muito mais a caminho. Em uma coletiva realizada na fábrica em São José dos Pinhais (PR), Carlos Ghosn, o CEO do grupo Renault-Nissan, confirmou a produção do Kwid e do crossover Captur, além da importação do Koleos – todos para 2017.

Tratado pela Renault como um SUV de entrada, o Kwid irá brigar no segmento de entrada, com Fiat Mobi e Volkswagen Up!.
Nicolas Tavares/iG Carros
Tratado pela Renault como um SUV de entrada, o Kwid irá brigar no segmento de entrada, com Fiat Mobi e Volkswagen Up!.

Embora a marca fizesse muito segredo, já sabiamos do lançamento dos três modelos. O Kwid virá para ocupar o lugar do Clio (que seguirá sendo feito por mais um tempo), utilizando a plataforma CMF-A e o novo motor 1.0 de 75 cv e três cilindros da Renault . Este motor é completamente novo, sem relação com o já utilizado nos Nissan March e Versa. A marca irá vender este modelo  como um SUV de entrada, embora esteja mais para um hatchback aventureiro, da mesma forma que o Renault Sandero Stepway.

“Não temos o objetivo de fazer que [o Kwid] seja o mais barato do Brasil”, afirma Ghosn, “queremos ter um carro competitivo e que irá buscar um bom custo-benefício”. Terão um desafio para fazer o público aceitar o modelo, depois do péssimo resultado que o modelo indiano teve no crash-test do EuroNCAP – tirou zero estrelas , mesmo em versões mais reforçadas. A Renault promete que o carro brasileiro só terá o design parecido, sendo bem mais forte e com quatro airbags de série (frontais e laterais).

O nosso Renault Captur será a versão russa, usando a plataforma M0 e os motores 1.6 e 2.0 do Duster.
Nicolas Tavares/iG Carros
O nosso Renault Captur será a versão russa, usando a plataforma M0 e os motores 1.6 e 2.0 do Duster.

Existe a chance dos clientes se confundirem a respeito do Renault Captur. Existem dois modelos com o mesmo nome, mas que são diferentes. Na Europa, o Captur usa a plataforma B do Clio de quarta geração e mede 4,12 metros de comprimento, além de usar motores mais novos, como 0.9 e 1.2. Para outros mercados, como Rússia e Brasil, há um outro Captur  (ou Kaptur, na Rússia), que usa a plataforma M0 do Renault Duster, tem 4,33 metros de comprimento e usa os mesmos motores 1.6 e 2.0.

Criado na França pela Renault, o Koleos é oferecido apenas na Ásia, com produção na Coreia do Sul e China. Deve ser vendido por aqui entre R$ 150 mil e R$ 160 mil.
Nicolas Tavares/iG Carros
Criado na França pela Renault, o Koleos é oferecido apenas na Ásia, com produção na Coreia do Sul e China. Deve ser vendido por aqui entre R$ 150 mil e R$ 160 mil.

No topo da gama estará o Renault Koleos, um crossover de 4,67 metros de comprimento. Embora pareça bem mais com o que a marca oferece na Europa, não é um modelo vendido por lá. Na verdade, é fabricado em Busan (Coreia do Sul) e Wuhan (China), de olho nestes mercados – os europeus tem outro SUV, o Kadjar, embora seja um pouco menor. Virá em versão única, com motor 2.5 de 172 cv e tração integral, com preços entre R$ 150 mil e R$ 160 mil.

Enquanto falava sobre as mudanças de estratégia da Renault, Ghosn afirmou que Sandero e Logan continuarão a ser produzidos na fábrica em São José dos Pinhais, contrariando todos os indícios de que a fabricação iria toda para a Argentina. O movimento na fábrica argentina em Santa Isabel seria para evitar que alguma movimentação política trave a exportação dos veículos, mantendo um plano secundário para esses casos.

Só em 2017

As três novidades da Renault estarão abertas para o público no Salão do Automóvel, em novembro. O executivo não quis falar quando devem ser lançados no país, embora tenha deixado escapar que teremos alguns lançamentos ainda este ano – o que indica que alguns modelos devem ser apresentados para a imprensa antes do fim de 2016.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.