Versão mais apimentada do TT é diversão garantida, mas custa caro. Vai de 0 a 100 km/h em meros 4,9 s e sai por R$ 299.990

Nem pintado de cinza escuro o Audi TTS passa despercebido na paisagem acinzentada em São Paulo. E com aquele ronco borbulhante que sai pelas quatro saídas de escape chega a ricochetear pelas paredes ao redor, não tem jeito: se você procura algo divertido ao volante, mas não quer chamar atenção, esse pequeno cupê de sangue quente deve ficar de fora da sua lista. Também saiba que o ajuste esportivo da suspensão não combina com piso mal conservado. 

Então, quem está disposto a pagar os R$ 299.990 do Audi TTS quer mesmo ser dublê de piloto nos chamados track days ,  aqueles eventos de entusiastas do automobilismo em que todos se encontram em alguma pista fechada para acelerar.   Ou procura curtir, sem exageros, o desempenho de tirar o fôlego do carro em trechos bons de guiar, que combinam curvas e retas suficientes para alegrar o dia de qualquer um.

LEIA MAIS: Audi TT RS vai de 0 a 100 km/h em 3,7 segundos

Ok, a reportagem de iG Carros chegou a provar o TTS em um breve (e inédito) teste noturno, na pista de Interlagos . Mas nada como usar o carro no dia a dia para tirar mais algumas conclusões.  Uma delas é que, além da questão do visual nada discreto e do ajuste feito para pistas sem buracos, também tivemos certeza de que o dono de um TTS não está afim de levar mais ninguém a bordo além da pessoa que pode ir sentada no belo banco  dianteiro revestido de couro vermelho, com ajustes elétricos e largos apoios laterais, inspirado nos assentos dos carros de corrida.

Interior é arrojado, mas feito para dois adultos e, no máximo, duas crianças pequenas atrás
Carlos Guimarães/iG
Interior é arrojado, mas feito para dois adultos e, no máximo, duas crianças pequenas atrás

Tanto para entrar quanto para sair do pequeno banco traseiro exige técnicas de contorcionismo. Mas isso é de propósito. Soa como uma espécie de castigo para quem insistir em atrapalhar ou ir contra o ímpeto esportivo do TTS. Você até pode pisar de leve no acelerador, mas vai parecer que está levando um falcão dentro de uma gaiola, ávido para esticar as asas e voar. É pisando mais forte no pedal da direita é que o 2.0, turbo, de 286 cv limpa a garganta e respira fundo.

Se acionar o controle de largada, então, a aceleração é brutal o suficiente para grudar suas costas no banco e esgotar o ar dos seus pulmões por 4,9 segundos, tempo suficiente para sair da imobilidade até atingir 100 km/h. Portanto, é bom apertar os cintos que o TTS é mesmo poderoso. Além do motor, a tracão integral e o câmbio sequencial, de dupla embreagem e seis marchas, com trocas por hastes no volante, também ajudam a chegar ao desempenho empolgante do carro.

LEIA MAIS: Audi RS3: foguete terra-terra

Nas curvas, o TTS obedece aos comandos do acelerador, do volante e dos freios com a obediência de um cão farejador. As rodas de aro 19 montadas em largos pneus (Hankook, coreanos, na unidade avaliada) 235/35R ajudam a manter a estabilidade irreprensível. O volante de três raios, inspirado no do supercarro 918 Spyder, com base achatada, tem empunhadura perfeita e funciona em conjunto com a direção elétrica com assistência variável. E os freios a disco nas quatro rodas são bastante confiáveis e deixam claro que têm pedigree pelas pinças vermelhas à mostra.

O acerto da estrutura garantiu boa rigidez torcional e leveza o bastante para contribuir com o trabalho da suspensão bem rígida, tratada no concreto, para a carroceria inclinar pouco de um lado para o outro e o carro esparramar nas curvas com precisão, sem sustos. O preciosismo da engenharia inclui até um defletor de ar na traseira que se move de acordo com a velocidade para dar um pouco de pressão aerodinâmica para assenter a traseira.  É diversão na certa.

Além do desempenho, visual arrojado e interior hi-tech

Audi TTS Coupé
Divulgação
Audi TTS Coupé

Não foi à toa que resolveram, escolher a dupla TT e TTS para estrear o quadro de instrumentos totalmente digital e interativo. O aspecto futurista do carro combina com a tela que pode mudar de acordo com o gosto do freguês. Desde mostrar o contagiros em destaque, no centro, até ser toda coberta pelo mapa do GPS. Você é quem escolhe. Quer mais?

Então ligue o sistema de som da marca dinamarquesa Bang & Olufusen, de alta-fidelidade e ouça suas músicas preferidas com uma qualidade para ninguém encontrar defeito. Claro, dá para usar Bluetooth, entradas USB ou auxiliar. Impressiona também o prático touch pad para encontrar um endereço no GPS. Basta ir escrevendo com o dedo as letras que o sistema vai mostrando as opções de nomes de ruas e avenidas, o que facilita bastante a busca. Bom também é que a temperatura do ar-condicionado por ser regulada nas próprias saídas de ar, com pequenos mostradores.

Rival de Porsche Cayman (cuja nova geração está prestes a chegar ao Brasil) e  Mercedes SLC 300 (R$ 292.900), o  Audi TTS (R$ 299.990) é feito para quem curte o prazer de dirigir e está disposto a pagar pelo um esportivo compacto, com tecnologia de ponta. Quando seu principal rival, o novo Cayman chegar ao País, a briga vai ser boa. O BMW Z4 também poderia entrar no páreo, mas acaba de sair linha para dar lugar ao Z5 , feito em parceria com a Toyota. Pode ser mostrado no próximo Salão de Paris (França), no mês que vem. Vamos aguardar.

Ficha Técnica

Preço: R$ 299.950

Motor: 2.0, quatro cilindros, turbo, gasolina

Potência:  286 cv a 6.400 rpm

Torque: 38,7 kgfm a partir de 1.800 rpm

Transmissão: Automatizado, de seis marchas, tração integral

Suspensão:Independente (dianteira) / multibraço (traseira)

Freios: Discos ventilados na dianteira e na traseira

Pneus:  245/35 R19

Dimensões: 4,19 m (comprimento) / 1,83 m (largura) / 1,34 m (altura), 2,50 m (entre-eixos)

Tanque : 55 litros

Consumo: 9,2 km/l (cidade) /10,7 km/l (estrada) com gasolina

0 a 100 km/h: 4,7 segundos 

Vel. Max: 250 km/h  


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.