Tamanho do texto

Modelos podem até ser bons, mas alguns fatores comprometem o custo-benefício e os fazem perder valor. Confira os detalhes a seguir

Se uma categoria ainda oferece (minimamente) uma oposição aos SUVs compactos, estes são os sedãs médios. Além de mais espaçosos, elegantes e luxuosos, também costumam entregar melhor dirigibilidade. Além do prazer ao dirigir, também existe o lado racional dos sedãs médios, uma vez que também podem ser carros que gastam menos combustível na comparação com os SUVs. Entretanto, se estiver entre os sedãs médios que mais desvalorizam, no final das contas, o que era para ser vantajoso, acaba perdendo o sentido.

LEIA MAIS: Veja os 5 seminovos mais vendidos do Brasil

Com o objetivo de alertar você que pensa em comprar um carro, listamos sedãs médios que mais desvalorizam , sem repetir marcas, para que se pense duas vezes antes de fechar negócio.  Estamos falando de apenas um quesito que pesa na relação custo-benefício, a desvalorização. Sem mais delongas, veja alguns números levantados pela KBB Brasil, empresa especializada em pesquisa de preços de carros novos e usados.

1- Ford Focus Fastback Titanium Plus Powershift

No topo da lista dos sedãs médios que mais desvalorizam, o Ford Focus Fastback ainda sim é um bom carro
Divulgação
No topo da lista dos sedãs médios que mais desvalorizam, o Ford Focus Fastback ainda sim é um bom carro

O Focus tem bastante tecnologia, equipamentos, conforto e desempenho. Mas alguns fatores como a impopularidade dos carros médios da Ford e o polêmico câmbio Powershift fizeram com que ocupasse a primeira colocação entre os sedãs médios mais desvalorizados. Mesmo assim, não é um carro ruim. Conta com sistema que detecta vaga e faz baliza sozinho, faróis com lâmpadas de xenônio, bancos revestidos de couro (sendo o do motorista com ajustes elétricos), teto solar elétrico e som da Sony de alta fidelidade com 5 alto falantes e 4 tweeters.

Ainda entre os destaques da central multimídia Sync 3 do Ford Focus Fastback está o sistema de reconhecimento de voz, que foi aperfeiçoado pelos engenheiros da Ford para identificar os comandos mesmo com os sotaques de cada região do País. Os mapas foram redesenhados por completo, disponíveis para visualização tanto em 2D quanto em 3D. Conta também com o assistente de emergência, já disponível em toda a linha da Ford, sem nenhum custo.

Preço 0 km: R$ 107.500
Valor 2018: R$ 94.500
Valor 2017: R$ 77.000
1º ano de desvalorização: -12,09%
2º ano de desvalorização: -28,37%

LEIA MAIS: Conheça os 5 sedãs médios mais econômicos do Brasil à venda atualmente

2- Citroën C4 Lounge Exclusive THP

A PSA sofre com a impopularidade no Brasil. Nisso, o C4 Lounge é o 2º entre os sedãs médios que mais desvalorizam
Divulgação
A PSA sofre com a impopularidade no Brasil. Nisso, o C4 Lounge é o 2º entre os sedãs médios que mais desvalorizam

Os maus bocados que a PSA enfrenta, principalmente no quesito da baixa popularidade, tem total relação com a dificuldade de se revender qualquer modelo Peugeot ou Citroën no Brasil. Com isso, o Citroën C4 Lounge Exclusive aparece em segundo lugar no índice de desvalorização neste segmento. Mesmo com a chegada da nova geração, nada foi estrategicamente suficiente para virar o quadro deficitário no mercado, com baixa procura que culmina na queda brusca dos preços.

Ainda sim, tal como o Focus, não fica por baixo em tecnologias. Inclui equipamentos como ar-condicionado digital de duas zonas, revestimentos de couro, entrada e saída sem chave, central multimídia de sete polegadas e retrovisores rebatíveis eletricamente. A segurança é reforçada pelos controles eletrônicos de estabilidade e de tração, câmera de ré com sensores e pelos seis airbags (frontais, laterais dianteiros e do tipo cortina). E você ainda pode encontrar um carro com faróis de xenônio direcionais e teto solar elétrico.

Preço 0 km: R$ 93.800
Valor 2018: R$ 77.000
Valor 2017: R$ 70.000
1º ano de desvalorização: -17,91%
2º ano de desvalorização: -25,37%

LEIA MAIS: Conheça os 5 SUVs compactos mais lentos à venda no Brasil

3- Nissan Sentra SL CVT

Mudou pouco, inclusive na mecânica. É o principal motivo para ser um dos sedãs médios que mais desvalorizam
Divulgação
Mudou pouco, inclusive na mecânica. É o principal motivo para ser um dos sedãs médios que mais desvalorizam

A sensível reestilização do Nissan Sentra que chegou recentemente não foi o suficiente para agradar o público que já se queixava de um projeto defasado. Mesmo com sua mecânica confiável, muitos no mercado se incomodam com o seu câmbio CVT, que acaba não otimizando o desempenho do motor (acelera até 100 km/h em 10,1 segundos) e se reflete no consumo de combustível (6,7 km/l no etanol e 9,9 km/l gasolina na cidade).

A lista de recursos do Sentra continua a mesma na linha 2019, com a possibilidade de baixar aplicativos como Waze, Spotify, Skype, entre outros. Além disso, pode-se ouvir músicas via streaming e reproduzir DVD, bem como transferir arquivos digitais para o disco rígido do aparelho, que tem 2,2 Gb de capacidade de armazenamento. Há também GPS embutido, que pode ser atualizado via internet. E tudo pode ser controlado pela tela sensível ao toque.

Preço 0 km: R$ 107.600
Valor 2018: R$ 94.000
Valor 2017: R$ 83.000
1º ano de desvalorização: -12,64%
2º ano de desvalorização: -22,86%

LEIA MAIS: 5 carros que eu não compraria de jeito nenhum

4- Volkswagen Jetta Comfortline 1.4 TSi Automático

VW Jetta 1.4 TSi: Seu seguro é a
Divulgação
VW Jetta 1.4 TSi: Seu seguro é a "pá de cal" para entrar na lista dos sedãs médios que mais desvalorizam

Aqui o maior problema não é nem algum aspecto específico do carro, mas o seu seguro. Nesse quesito, não é só o Jetta, mas a maioria dos modelos da Volkswagen sofre do “mal” da supervalorização pelas seguradoras. Para se ter uma ideia, o preço médio do seguro do Jetta Comfortline 1.4, considerando o mínimo de coberturas, é de R$ 3.000, segundo a simulação do site seguroi.com.br. Logicamente este valor pode variar em função do perfil do cliente.

De acordo com a fabricante, o sedã tem um consumo médio de 11,7 km/l, contanto que o tanque tenha apenas gasolina. Entre os equipamentos do Volkswagen Jetta Comfortline , conta com ar-condicionado digital, volante multifuncional de couro com base reta, central multimídia multifuncional, manopla do câmbio de alumínio e couro, painéis de porta, painel inferior e bancos de couro bege (com opção de cor preta), aletas no volante e sensores de estacionamento dianteiro e traseiro.

Preço 0 km: R$ 103.900
Valor 2018: R$ 85.200
Valor 2017: R$ 81.000
1º ano de desvalorização: -18,00%
2º ano de desvalorização: -22,04%

5- Renault Fluence Dynamique Plus CVT

O Fluence já deixou de ser trazido pela Renault.  E está entre os sedãs médios que mais desvalorizam
divulgação
O Fluence já deixou de ser trazido pela Renault. E está entre os sedãs médios que mais desvalorizam

Fora de linha desde o início desse ano, ainda é possível considerá-lo como um carro recente, mesmo que não tão atual. Como qualquer marca francesa no Brasil, não vingou pela falta de tradição e, por se tratar de um segmento que já se distancia dos carros populares, enfrentou rivais de peso, como por exemplo todos os outros desta lista e muito mais. Tudo isso pesa muito quando se pensa em perda de valor no mercado — Fiat Linea que o diga, até meados dessa década.

Mesmo que esteja entre os sedãs médios que mais desvalorizam , traz 4 airbags, alertas sonoros, ar-condicionado digital Dual Zone com saídas de ar traseira, bancos em tecido, botão start/stop para partida do motor, chave com sensor de presença, computador de bordo com 6 funções, direção elétrica, faróis de neblina, luzes diurnas em LED, painel digital, piloto automático com limitador e controlador de velocidade de cruzeiro, rádio com CD e MP3 com conexão USB/iPOD/AUX e 4 alto falantes, sensor de chuva, sensor de iluminação, sistema Isofix para fixação de cadeirinhas infantis, vidros dianteiros e traseiros com a função “one touch” e sistema anti-esmagamento.

Preço 0 km: R$ 93.100
Valor 2018: R$ 84.000
Valor 2017: R$ 73.000
1º ano de desvalorização: -9,77%
2º ano de desvalorização: -21,59%

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.