Tamanho do texto

Além da Volvo, agora a maior marca alemã, junto com Audi e Porsche, desenvolvem novas baterias, plataformas e sistemas que visam eficiência

Carros elétricos e eletrificação da linha em 2016 são um marco para o segmento de automóveis de grande volume de vendas
Divulgação
Carros elétricos e eletrificação da linha em 2016 são um marco para o segmento de automóveis de grande volume de vendas

Constantemente o setor automotivo passa por reformulações, entre elas, a substituição dos motores a combustão pelos elétricos. E a agora surge a notícia de que o chefe de estratégia da Volkswagen, Michael Jost, afirmou à agência Reuters que a principal marca alemã vai desenvolver a sua última geração de veículos não eletrificados. Ou seja, a partir de 2026, somente carros elétricos e híbridos sairão das fábricas da matriz. No Brasil, não deveremos esperar que isso aconteça já na próxima década.

LEIA MAIS: Audi e-Tron GT conceitual, com 590 cv, é revelado no Salão de Los Angeles (EUA)

A Volkswagen fez uma mudança estratégica para a produção de carros elétricos após o escândalo envolvendo as emissões de diesel, em 2015, o que forçou a empresa a pagar mais de 27 bilhões de euros (R$ 118 bilhões) em multas por esconder níveis de poluição excessiva.

LEIA MAIS: Salão do Automóvel 2018 apresenta o VW I.D Crozz, SUV elétrico de 2020

Segundo o chefe de estratégia, Michael Jost, os desafios que a marca enfrentará serão o de adaptar os carros a gasolina e diesel para atender padrões ambientais durante toda a vida útil, mas agora está comprometida a passos radicais para combater o aquecimento global. Ainda segundo o executivo, como forma de cumprir as metas do acordo climático de Paris, a Volkswagen também mudou suas referências de desenvolvimento de carros para incluir a meta de cortar os níveis de poluição de dióxido de carbono durante a produção.

LEIA MAIS: Volkswagen elétrico da família I.D terá até 500 km de autonomia

Carros elétricos da VW atualmente

Carros elétricos da VW atuais já contam com eficiência, desempenho e — com postos de recarregamento — praticidade
Divulgação
Carros elétricos da VW atuais já contam com eficiência, desempenho e — com postos de recarregamento — praticidade

No momento, o desenvolvimento de carros elétricos está em ascensão. No centro da ofensiva de seus veículos “amigos do meio ambiente”, está a plataforma MEB, que será usada não só pela Volkswagen, mas também por Audi, Seat, Skoda e pelos veículos comerciais da empresa. Além disso, Audi e Porsche trabalham juntas em uma plataforma eletrificada premium para modelos maiores.

LEIA MAIS: E-Tron, primeiro Audi elétrico fabricado em série na história da marca alemã

O primeiro carro baseado na base MEB a ser produzido será um hatchback compacto, previsto para começar as suas vendas em 2020. Deverá custar o mesmo que um Golf diesel na Europa, cerca de 24 mil euros, o que dá aproximadamente R$ 105 mil. Na mesma época, a Porsche iniciará as vendas do Taycan, seu primeiro modelo elétrico, enquanto a Audi irá lançar a versão de produção do e-tron GT, sedã elétrico mostrado no Salão de Los Angeles (EUA).

LEIA MAIS: Nova plataforma equipará todo o tipo de Volkswagen elétrico e reduzirá custos

Atualmente, os carros elétricos e híbridos da marca alemã são baseados em veículos que não foram concebidos necessariamente para essa tecnologia, mas receberam alterações para que fossem viáveis durante o uso. Entre os principais modelos, estão os híbridos Golf GTE e Passat GTE , e o elétrico e-Golf .

LEIA MAIS: Tanoak, nova picape da VW, esbarra em impasse antes da produção

No caso do Golf GTE , o carro será vendido no Brasil no segundo semestre de 2019 para rivalizar competir com Chevrolet Bolt e Nissan Leaf, carros elétricos que acabam de desembarcar. Com 201 cv, ele trabalha com o mesmo motor 1.4 da linha convencional, mas aliado a um propulsor elétrico complementar. Os preços ainda não foram anunciados, mas as estimativas superam a casa dos R$ 150 mil.

Fonte: Reuters

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.