Toyota Hilux GR Sport
Divulgação
Toyota Hilux GR Sport é o primeiro modelo da marca que traz preparação da subdivisão japonesa de performance

Sucesso no Salão do Automóvel de SP 2018, a edição especial GR Sport do Toyota Hilux terá um novo lote de vendas, segundo a marca. Inicialmente, foram 1.300 exemplares fabricados, com 420 deles enviados ao Brasil. Entretanto, Daniel Herrero, o presidente da Toyota na Argentina (onde será produzida), declarou que “para a próxima edição, há 2.000 unidades encomendadas: 1.400 para a América Latina e 600 para a África do Sul". Será vendida por R$ 206.990 e está posicionada acima da configuração SRX, topo de linha.

LEIA MAIS: Hilux brilha e Toyota ultrapassa GM no mercado de picapes

O Toyota Hilux GR Sport é o primeiro modelo do Brasil que pertence à subdivisão esportiva da marca japonesa. Apesar de não apresentar mudanças na motorização, no câmbio e no escape, terá suspensão, molas e amortecedores ajustados para oferecer mais conforto aos ocupantes, especialmente em terrenos acidentados.

LEIA MAIS: Toyota lança linha 2019 da Hilux com uma série de novidades

Por baixo do capô, o motor 2.8 diesel de 177 cv e 45,9 kgfm. O câmbio, por sua vez, é automático de seis marchas, oferecendo tração 4×4 e reduzida. Com isso, é capaz de acelerar até 100 km/h em 13,8 segundos e atingir os 180 km/h. Segundo o Inmetro, faz 9 km/l na cidade e 10,5 km/l nas rodovias.

LEIA MAIS: Veja 5 motivos para comprar a Volkswagen Amarok V6 e não Hilux SRX

Por fora, o Hilux GR Sport apresenta grafismos coloridos, maçanetas e rodas pintados. Na grade frontal, o logotipo da marca dá lugar ao nome Toyota, contando também com moldura das luzes de neblina nas cores vermelha ou branca, rodas de 17 polegadas com pneus 265/65, plataforma de apoio para os pés na cor preta e logo GR-S estampado na parte traseira e laterais.

LEIA MAIS: Toyota convoca nova Hilux por falha no controle dos airbags

Por dentro, traz ar-condicionado automático digital, direção hidráulica, controles de estabilidade e tração, banco do motorista com ajuste elétrico, sete airbags, computador de bordo com tela TFT de 4,2 polegadas, central multimídia com tela de 7 polegadas, câmera de ré, porta-luvas climatizado, controle eletrônico de reboque, retrovisores elétricos entre outros. Dos exemplares que já foram fabricados, todos foram baseados no acabamento SRX e identificadas com numeração no console central.

LEIA MAIS: Nova picape da Ford chega em breve para concorrer com Toro, Oroch e Tarok

Outras versões

Toyota Hilux
Divulgação
Confira um pouco mais sobre as versões convencionais da picape média mais vendida

A versão mais em conta da picape média é a 2.7 flex 4x2 com câmbio manual, que custa R$ 111.990. Porém, se passar para a 4x4 automática, o preço dessa picape flex sobe para R$ 142.640.

Esse preço é só um pouco superior ao da versão a diesel mais em conta. Com motor 2.8 e câmbio manual, a Hilux 4x4 diesel custa R$ 141.340. Se quiser câmbio automático, o cliente terá que pagar no mínimo R$ 161.560. Todas essas citadas são cabine dupla.

LEIA MAIS: Como pode a picape leve Fiat Strada custar mais de R$ 73 mil?

Para quem procura uma Toyota Hilux cabine simples a diesel, terá que desembolsar R$ 126.320. Também existe uma versão só com cabine e chassi, por R$ 122.320. Independentemente do preço, algo que se mostra favorável na hora de fechar negócio é o ciclo Toyota, um financiamento que garante a recompra pelo fabricante com 85% da Tabela Fipe.

    Veja Também

      Mostrar mais