Tamanho do texto

Atualmente, modelos com o mesmo estilo de carroceria se limitam à marcas como BMW e Mercedes. Logo, deverá se destacar pela maior acessibilidade

Renault Arkana
Divulgação
Renault Arkana: Novidade acaba de ser revelada por completo e chegará ao Brasil entre 2020 e 2021

Previsto para ser vendido no Brasil entre 2020 e 2021, o inédito Renault Arkana acaba de ser revelado por completo. É pensado para se posicionar acima do Captur, atendendo as demandas dos mercados emergentes. O primeiro país a recebê-lo será a Rússia, já no mês que vem, com a pré-venda que por lá se iniciou hoje. Em outro momento, chegará também na Índia.

LEIA MAIS: Demos uma volta no Renault Kwid Outsider, nova versão com apelo aventureiro

Falta saber quando o Renault Arkana chegará ao Brasil, e isso depende de alguns fatores, entre eles o da tributação excessiva. Na semana passada, a montadora francesa disse que um novo ciclo de investimentos será implantado no Brasil, com a meta de alcançar os 10% de participação de mercado. De qualquer forma, a chegada do SUV ao País é dada como certa, embora a Renault ainda não confirme. 

O modelo da matéria em questão é o da pré-venda é a versão limitada Edition One, que com apenas 100 unidades disponíveis, na Rússia sai por 1.419.990 rúpias (cerca de R$ 89 mil), enquanto a versão com tração integral custa 1.499.990 rúpias (R$ 94 mil).

O primeiro aspecto que chama atenção é o visual, que surgiu após pesquisas de mercado que constataram que muitos de seus clientes queriam um carro que combinasse "a elegância de um sedã com as vantagens de um SUV" — algo que pode se relacionar com o fim do Fluence.

LEIA MAIS: Por que os preços da Renault e da Fiat estão baixando no Brasil?

E quando se analisa os SUVs-cupês , todos são carros mais sofisticados (e logo, caros) de marcas como BMW, Mercedes-Benz e outras. A partir disso, a fabricante francesa pensa em se destacar pela maior acessibilidade com a novidade.

Em relação ao Renault Captur , seu porte é maior. Mede 4,545 metros de comprimento, 1,820 m de largura, 1,565 m de altura e 2,721 m de entre-eixos. São 22 cm mais de comprimento e 5 cm a mais de entre-eixos. Além disso, os balanços curtos, o vão livre de 205 mm, as rodas de 17 polegadas, e 21° e 26° de ângulo de entrada de saída respectivamente chamam atenção.

Equipamentos de série

Renault Arkana
Divulgação
Renault Arkana terá equipamentos de conectividade da última geração entre os oferecidos pela marca

Na versão Edition One, o Renault Arkana é equipado com bancos de couro, faróis full-LED, acabamento cromado na carroceria, rodas de liga leve de 17 polegadas, central multimídia de 8 polegadas com conexão Android Auto e Apple CarPlay, chave-cartão com acabamento vermelho, e sistema de som BOSE com 8 alto-falantes, um subwoofer e um amplificador digital.

LEIA MAIS: Renault Sandero Stepway: hatch aventureiro à espera de um "upgrade"

Segundo declarações oficiais, o interior foi desenhado para colocar o motorista em foco, com o console central e a central multimídia voltados levemente para o condutor. Entre outros equipamentos, incluem iluminação ambiente com 8 opções de cor, bancos com ajuste de lombar e de altura, aquecimento nos assentos traseiros, nos vidros, espelhos e no volante.

Em todas as versões, o Renault Arkana será vendido com chave presencial. As portas são travadas automaticamente quando o motorista se afastar do veículo com a chave, bem como tem capacidade de ligar o motor pela chave a uma distância de até 200 metros. O porta-malas tem capacidade para 508 litros, ou 1.333 litros com os bancos traseiros rebatidos.

LEIA MAIS: Elétrico que poderá vir ao Brasil adianta o visual do novo Renault Kwid

Ainda falando do Renault Arkana na Rússia, tem sistema de tração 4x4 e 4x2, este também com os modos Auto e Lock. O sistema funciona até 80 km/h, e permite que a transmissão de movimento às rodas seja a mesma entre elas. Quanto ao motor, terá duas: o maior destaque é 1.3 TCe turbo de 150 cv e 25,5 kgfm, que utiliza o câmbio CVT X-Tronic. Segundo divulgado oficialmente, entrega um consumo de 14,2 km/litro e tem autonomia de 700 km. A segunda opção será o 1.6 de 114 cv a gasolina, combinado ao câmbio manual de 5 marchas (6 posições na versão de tração integral).