Tamanho do texto

Enfrentamos um dia de trilhas pesadas no curso de direção fora-de-estrada. Confira dicas que salvam sua aventura e ajudam a curtir melhor o 4x4

Motor Show


SUV 4x4 cinza
Divulgação
Mitsubishi L200 HPE S foi um dos veículos usados durante o curso sobre o uso correto da tração 4x4

Não basta ter uma ferramenta, é preciso saber usá-la corretamente. Foi com esse espírito que enfrentei em um dia – mais especificamente, 4/4, o “dia 4×4” – no 4×4 Driving School, um curso rápido de técnicas de direção em terrenos fora-de-estrada. Oferecido pela Mitsubishi em parceria com a WRBrasil – empresa especializada nesse tipo de treinamento –, ele é realizado nas trilhas da Fazenda Coronel Jacinto, localizada em Bragança Paulista (SP), e está aberto para proprietários das versões com tração 4×4 dos modelos Pajero, L200, ASX e Eclipse Cross.

LEIA MAIS: Mitsubishi L200 Triton HPE-S: mata adentro com a nova versão da picape

Já enfrentei algumas estradas de terra enlameadas para testar os modelos com tração 4×4 que aparecem aqui na MOTOR SHOW. Mas nunca havia encarado uma trilha feita especificamente para um veículo com tração nas quatro rodas, com ladeiras de terra íngremes – aparentemente intransponíveis – e profundos trechos alagados.

Foi com esse “vasto” currículo off-road que assumi o comando de uma L200 Triton Sport HPE-S, a versão de topo de linha da picape média japonesa com o sistema de tração chamado Super Select II – que, além das opções 4×2 e 4×4, tem os modos 4×4 reduzida e 4×4 com bloqueio do diferencial central.

Sem a pretensão de formar pilotos de rali , a ideia principal do curso é ensinar aos donos de veículos com tração nos dois eixos a utilizar todas as potencialidades do sistema para não acabarem suas aventuras se meterendo em encrencas ou acidentes perfeitamente evitáveis. Confira as lições do dia.

LEIA MAIS: Mitsubishi Eclipse Cross 2019: o segredo do equilíbrio

Pressão dos pneus

Em trechos com lama, baixe a pressão dos pneus para 18 ou 20 libras. Abaixo desta marca, há o risco de que galhos ou lama se infiltrem nos pneus, furando-os e causando vazamentos. Em pistas com pedras, é necessário manter a calibragem acima de 26 libras para evitar danos na lateral dos pneus. Já nos trechos arenosos, baixe para 18 ou 20 libras, podendo chegar a 13 libras em situações mais extremas. Vale destacar que é importante manter a pressão igual em todas as rodas.

Bloqueio do diferencial

Nos modelos equipados com o bloqueio do diferencial central, essa função deve ser ativada em pisos de baixa aderência, como lama ou pedras. Ele permite transferir a tração igualmente entre as quatro rodas, mantendo o veículo em movimento mesmo quando uma ou mais rodas perdem contato com o solo.

LEIA MAIS: Mitsubishi antecipa detalhes da linha 2020 do ASX com novo visual

4×4 reduzida

Essa função altera a relação do diferencial e permite explorar o torque máximo do motor em baixas velocidades. Deve ser acionada apenas com o câmbio na posição N e empregada só em pisos de baixa aderência, em subidas íngremes ou declives e ao cruzar áreas alagadas.

Trechos alagados

Em trechos com menos de 50 cm de água, engate a tração 4×4 reduzida e o bloqueio do diferencial (se tiver). Durante a travessia, nunca troque de marcha e siga bem devagar (em 1ª ou 2ª marcha), para não formar onda. Para facilitar a fuga em caso de pane, mantenha os vidros abertos. Nos trechos com mais de 50 cm de profundidade, recomenda-se o uso de um snorkel no veículo.

LEIA MAIS: Mitsubishi cede picapes para a CET de SP cuidar do trânsito nas Marginais

Decida escorregadia

Caso o carro não disponha de sistema de controle eletrônico em descidas (HDC), sempre desça em 1ª marcha e com a reduzida acionada. Mantenha a aceleração constante e utilize o freio de mão (puxando um dente ou mais) para controlar o deslizamento da traseira do veículo com tração 4x4.