Tamanho do texto

O Corcel foi o primeiro esportivo a passar por um recall, mas apesar disso, tinha versões esportivas com emoção ao dirigir e até certo desempenho

“Corcel cor de mel, Mustang cor de sangue”, dizia a letra de Marcos Valle que fez muito sucesso nas rádios brasileiras. De fato, o Ford Corcel chegou ao mercado para se tornar uma referência da qualidade da montadora, com espírito Renault, durante as décadas de 60, 70 e 80.

LEIA MAIS: Escort XR3 Benetton: conheça a série limitada com motor 1.8. Veja vídeo

Apesar do sucesso do Ford Corcel , a Volkswagen dominava mais de 70% do mercado com seus modelos refrigerados a ar. Parece absurdo, mas a confiabilidade mecânica desses propulsores boxer realmente alcançou seu ápice com vários modelos diferentes.

Mas o Corcel chegava para ser diferente e apresentava algo singular. O modelo tinha inspiração no primo Ford Mustang com diferenciais que chamaram a atenção do público. Aliás, foi também o responsável pelo primeiro recall da indústria automobilística nacional.

Na época, o carro apresentou defeito no sistema de transmissão, mais exatamente no que é hoje conhecido como junta homocinética, mas que no final dos anos 60 ainda se chamada cruzeta. 

LEIA MAIS: VW Passat GLS: versão rara recebe motor 1.8 do esportivo GTS

Ford Corcel: espírito esportivo

undefined
Renato Bellote/iG
Ford Corcel GT era sinônimo de diversão e desempenho para os padrões da época. Agora, personalidade tinha de sobra

Já pensando na esportividade, a marca lançou o XP. A versão trazia detalhes mais agressivos, rodas com desenho exclusivo e também instrumentação completa no centro do console para quem gostava de monitorar o funcionamento dos principais componentes do conjunto mecânico.

Aliás, aqui cabe uma ressalva interessante. Instrumentos como voltímetro, pressão de óleo e temperatura de óleo, presentes em alguns esportivos do passado, são algo raro dos carros de hoje em dia. Alguns atuais não têm nem o termômetro, algo preocupante.

LEIA MAIS: Chevrolet Chevette GP II foi o esportivo nostálgico da Fórmula 1

O GT substituiu a versão XP alguns anos mais tarde. Trazia o mesmo estilo esportivo, realçado pela traseira preta, mas deixando de lado o scoop, com o motor de 1,4 litro e 85 cv, bem calibrado para a época. Funcionava com câmbio manual, de quatro marchas. 

O exemplar ue aparece no vídeo acima está totalmente original, pintado de vermelho com detalhes pretos. Entre os principais detalhes, repare nos faróis auxiliares embutidos na grade dianteira e os retrovisores de formato cônico, o que remete a uma certa esportividade de época. 

As rodas de liga-leve também fazem parte do pacote de equipamentos exclusivo da versão GT do Corcel. Ainda entre os itens que apenas essa versão com apelo esportivo tem está o logotipo GT na coluna traseira. 

LEIA MAIS:  Maverick LDO: toque de luxo com motor V8. Assista ao vídeo da raridade

Guiar um Ford Corcel é uma boa experiência. embora o carro não tenha um dos desepenhos mais empolgantes. E após alguns minutos ao volante notamos a ótima ergonomia, câmbio em boa posição e a valentia do motor Renault. Três ingredientes que fazem do carro um belo carro clássico nacional. 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.