Tamanho do texto

Bastante motor, visual vigoroso e conforto. Essas são as maiores qualidades das opções para essa proposta, repleta de envolvimento homem-máquina

As motos para viajar são sinônimo de psicologia sobre rodas. São a forma mais nua e crua de deixar os problemas para trás, na mesma proporção que quilômetros e quilômetros de asfalto. Além disso, são bons motivos para fazer amigos e conhecer mais sobre mecânica, sem falar que poucos veículos podem ser tão apaixonantes quanto. 

LEIA MAIS: Nova Kawasaki Z400 chega em agosto com motor e itens da última geração

E além de tudo isso, a boa notícia está, como sempre, nos classificados. Não é difícil ficar tentado a deixar o carro popular de lado para virar um herói em cima das estradeiras , as motos boas para viajar . Se juntar a Capitão América, Motoqueiro Fantasma e dupla do filme Easy Rider (Sem Destino), é o suficiente para proporcionar, no mínimo, uma sensação de plenitude. Com isso, veja uma seleção de modelos recentes, que se pode encontrar desde os R$ 20 mil, chegando até R$ 40 mil.

5 — Royal Enfield Classic 500 2018: R$ 18 mil

Royal Enfield arrow-options
Divulgação
Motos para viajar: Royal Enfield tem opções mais em conta para quem gosta de ares vintage

Estreamos a seleção com uma opção vintage . Como se fizesse o motociclista “viajar no tempo”, as Royal Enfield apostam em visual clássico e mecânica simplista para atrair consumidores que buscam nostalgia. Até afogador e pedal de partida estão lá, mas sem deixar de lado a indispensável injeção eletrônica e freios ABS.

Muito aço, brilho e partes solidamente construídas, dando um aspecto de força e resistência. Nada escondido, mas bem protegido por caixas de ferro, barras, peças estampadas e parafusos.

Vem com motor de um cilindro refrigedado a ar com 499 cc, que entrega 27.5 cv e bons 4,2 kgfm. Ele trabalha com uma caixa de câmbio de 5 velocidades assistida por embreagem multidisco em banho de óleo. As suspensões têm garfo telescópico com tubos de 35 mm de diâmetro e curso de 130 mm na dianteira, com dois amortecedores a gás e ajuste na pré-carga das molas. Os freios trazem disco de 280 mm na dianteira 153 mm na traseira.

LEIA MAIS: Conheça detalhes de 5 motos esportivas seminovas de até R$15 mil

4 — Kawasaki Vulcan S ABS 2018: R$ 27 mil

Kawasaki Vulcan arrow-options
Guilherme Marazzi
Kawasaki Vulcan S Especial Edition, estilo e facilidade de pilotagem são seus maiores atributos

Com aspecto elegante e ao mesmo tempo agressivo, desde 2018 traz um indicador de marchas, além do conta-giros analógico e display em LCD com velocímetro digital, indicador de combustível, relógio e hodômetro. Ela se move com o motor bicilíndrico paralelo de 649 cc com 61 cv e 6,4 kgfm, e além da caixa de 6 marchas com transmissão por corrente, traz o catalisador mais recente da marca, que atende aos requisitos do PROMOT 4 — regulamentação que define os níveis máximos de emissão de gases.

Para garantir a segurança, a Kawasaki Vulcan conta com suspensão dianteira com garfos telescópicos e traseira com monochoque lateral. Quanto aos freios, além de ABS, reduz a velocidade com disco de 300 mm, que traz pinça de pistão duplo no freio dianteiro e disco de 250 mm com pinça de pistão único na roda traseira. Trata-se de uma opção de custo-benefício dentro da lista.

3 — Harley-Davidson Sportster 1200 Custom Limited 2016: R$ 33 mil

Harley-Davidson arrow-options
Divulgação
H-D Sportster Custom: opção entre as mais em conta da marca mais famosa para a proposta estradeira

Mesmo que muito procurada pelos motociclistas que gostam de cair na estrada, a Sportster Custom chega a ser considerada urbana, por conta da sua maior acessibilidade, e potência menor (não declarada pela fabricante) que a das outras “irmãs” Harley-Davidson . Entretanto, a legião de fãs valoriza a possibilidade de ser, como o nome diz, customizada de fábrica.

Além da suspensão convencional de baixo curso, seu câmbio possui cinco marchas e sua transmissão final é por correia dentada. São aspectos que podem soar um pouco antiquado, entretanto, seu painel mantém o estilo custom e traz um pequeno computador de bordo, onde é possível visualizar o indicador de marcha, hodômetros e relógio. Quanto aos freios, vem com um disco na dianteira e outro na traseira, acompanhados de pinças de pistão duplo.

LEIA MAIS: Chega ao Brasil a Triumph Bonneville T120 Ace, limitada a 1.400 unidades

2 — Triumph Bonneville T120 1200 2017: R$ 34 mil

Triumph arrow-options
Francisco Costa
Com o mesmo visual da primeira Bonneville T120 de 1959, a atual traz equipamentos modernos para conforto e segurança

Eis um modelo que une o clássico, ao moderno, com níveis maiores de potência. Além dos falsos carburadores e das aletas de refrigeração, ela tem itens tecnológicos como acelerador ride-by- wire, farol com refletor multifacetado e lente lisa, freios com sistema ABS, controle de tração, cluster analógico com computador de bordo multifuncional e chave de ignição com chip integrado.

Enquanto isso, o seu motor de 1.200 cc desenvolve 80 cv e 10,7 kgfm, que se alia ao câmbio de 6 marchas. O charme dele é que é refrigerado a água, apesar de parecer ser a ar. Entre os itens estruturais, suas suspensões são da Kayaba e têm 120 mm de curso na frente e atrás, com ajuste só de pré-carga na traseira. Já o conjunto de freios oferece disco duplo de 310 mm com pinça de dois pistões na roda dianteira, de 18 polegadas, e um disco de 255 mm e pinça dupla na roda traseira, de 17 polegadas.

1 — Suzuki Boulevard M1800R 2016: R$ 40 mil

Suzuki Boulevard arrow-options
Divulgação
A mais superlativa que se pode achar nos classificados, nessa faixa de preço. Motor e visual insanos!

Além do estilo único, o modelo que fecha a lista é, de longe, a opção com o maior motor. Com duplo comando de válvulas, dois cilindros em V forjados e 1783 cc, que desenvolve 125 cv e 16,3 kgfm, ele fica ancorado em seu chassi do tipo berço duplo construído em aço de alta resistência.

Outro ponto é que traz o sistema de injeção eletrônica com dupla válvula de borboleta para suavizar a resposta do acelerador. Essa força é enviada pelo eixo-cardã e câmbio de 5 marchas. Para frear seus 347 kg,  a moto conta com dois discos dianteiros e um atrás.

Além do cárter seco para baixar o centro de gravidade,  a suspensão da Suzuki Boulevard traz garfo dianteiro invertido e balança em alumínio com monoamortecedor, ambos com ajuste de pré-carga da mola e 130 mm de curso.

LEIA MAIS: Harley-Davidson CVO Limited 2019 reúne o melhor em sofisticação

A última entre as motos para viajar traz painel de instrumentos com velocímetro analógico e uma tela de LCD com hodômetro digital, relógio e marcador de combustível. Há ainda outro painel digital com informações como indicador de marcha, conta giros e as luzes espias. O pneu traseiro é um espantoso 240/40R18.