Tamanho do texto

Ford Mustang volta a ser protagonista em um salão de poucos lançamentos. Destaque é a nova geração do Shelby GT500, com mais de 700 cv

O Salão de Detroit 2019 marca o início dos eventos automotivos ao redor do mundo. Esta edição, em especial, também traz algumas peculiaridades, sendo a última no congelante mês de janeiro nos EUA. A partir do ano que vem, o popular NAIAS (North American International Auto Show) acontecerá em julho, onde o objetivo dos organizadores será renovar o fôlego do salão que sofre com a perda de interesse tanto do público quanto de fabricantes.

LEIA MAIS: Cadillac mostra novo crossover elétrico no Salão de Detroit (EUA)

O Brasil parece ter sido deixado de lado. Por enquanto, apenas o Porsche 718 T está confirmado, podendo desembarcar por aqui em qualquer período entre o fim do ano e o começo de 2020. Mas também contaremos com Cadillac XT6, Kia Telluride e a nova geração do Toyota Supra (feita com base no BMW Z4). O novo Lamborghini Huracán Evo também é atração no Salão de Detroit 2019 , com motor de 640 cv.

LEIA MAIS: Porsche 718 T virá ao Brasil, inclusive na versão manual

Em 2018, o grande destaque do evento foi a releitura do Mustang Bullitt, homenageando o filme homônimo de 1968, estrelado por Steve McQueen. O cavalo prateado da Ford volta a ser protagonista, mas dessa vez com a versão GT500 de mais de 700 cv, a mais potente da história.

LEIA MAIS: Ford revela nova geração do SUV Explorer no Salão de Detroit

No que diz respeito aos protótipos, Nissan e Infiniti terão dois modelos. Há também um novo Cadillac EV, inaugurando a plataforma de modelos elétricos da General Motors que aparecerá futuramente em carros da Chevrolet. A Lexus também antecipa um conversível que parece pronto para iniciar a fabricação.

LEIA MAIS: Nova geração do VW Passat americano é mostrada em Detroit

Salão de Detroit 2019: o último no inverno

Ford Mustang Shelby GT500 rouba a cena durante o Salão de Detroit 2019 (EUA)
Divulgação
Ford Mustang Shelby GT500 rouba a cena durante o Salão de Detroit 2019 (EUA)

A neve que cobre a cidade sempre foi um problema, mas deixou de ser o único. Um outro evento automotivo que ganhou força nos últimos anos surge como uma pedra no sapato do Salão de Detroit. Trata-se do Consumer Electronics Show , ou simplesmente CES, que acontece na semana anterior. Diversas fabricantes trocaram o clima álgido de Detroit pelos badalados cassinos de Las Vegas para revelar suas tecnologias e conceitos. Com a mudança para junho, um evento ficaria distante do outro.

Enquanto o Salão de Detroit mantém a proposta conservadora de revelar veículos novos e conceitos, o CES 2019 tem focado mais em soluções de tecnologia e mobilidade. Um bom exemplo foi a apresentação do Toyota e-Pallete, um microônibus elétrico, na edição de 2018. A marca anunciou durante o CES  que o modelo fará o transporte dos atletas até arenas durante a Olimpíada de Tóquio em 2020. 

LEIA MAIS: Relembre 5 SUVs que não deram certo no mercado brasileiro

O fato do Salão de Detroit 2019 acontecer em janeiro também o encarece, uma vez que a organização começa nos últimos meses do ano anterior (ou seja, justamente a temporada de feriados dos Estados Unidos, incluindo o Dia de Ação de Graças). Os organizadores estão confiantes de que a mudança para o início do verão no Hemisfério Norte trará bons resultados.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.