Tamanho do texto

Nova geração do hatch traz novas tecnologias e se torna referência em seu segmento. Infelizmente, não deveremos esperar a sua chegada por aqui

O Renault Clio é líder de vendas na Europa em seu segmento. E para manter estas vendas elevadas, a marca francesa acaba de lançar no continente a quinta geração do hatch compacto. O brasileiro já conheceu o Clio em gerações anteriores, quando era fabricado por aqui. Pena que não continuou, mas foi graças a isso que a marca começou a crescer, passando a construir carros na plataforma da Dacia, com modelos ao gosto e ao bolso dos brasileiros.

LEIA MAIS: Só tem carrão no Salão de Genebra 2019. Assista ao vídeo direto da Suíça

Agora, especula-se que um dia, ninguém sabe quando, poderá voltar a ser fabricado por aqui. O Renault Clio já vendeu 15 milhões de unidades na Europa, desde que foi lançado, em 1990. É líder de vendas desde 2013. O novo Clio tem a cara e o jeito do Mégane, de dimensões menores. E isso é bom. Esteticamente, não há uma revolução de design, mas sim um claro seguimento das linhas que fazem a identidade da marca.

LEIA MAIS: T-Cross, o primeiro SUV brasileiro da VW, finalmente chegou ao mercado brasileiro

Novas tecnologias no Renault Clio

Renault Clio de nova geração traz novo design, equipamentos e mecânica. Apesar de moderno, não virá ao Brasil
Divulgação
Renault Clio de nova geração traz novo design, equipamentos e mecânica. Apesar de moderno, não virá ao Brasil

A plataforma é a CMF-B, uma arquitetura modular preparada para receber motores híbridos e eléctricos, que vai ser compartilhada com outros modelos da Aliança Renault-Nissan-Mitsubishi. Com a aposta forte nas motorizações a gasolina por parte dos construtores no segmento onde se insere o Renault Clio, este irá receber as recentes motorizações 1.3 e 1.0 TCe. O TCe 1.3, turbo, no futuro deverá equipar os SUVs brasileiros Captur e Duster.

LEIA MAIS: Audi vai além do tempo com conceitos inovadores. assista ao vídeo e descubra mais informações

Enquanto o mercado brasileiro cresceu 16% no acumulado do ano em relação a 2018, a Renault cresceu 40% no mesmo período. Com esse resultado a marca conquista 1,45 pontos em participação de mercado em relação ao último ano. Em fevereiro passado, a Renault atingiu 8,4% de participação de mercado. Números realmente impressionantes.

LEIA MAIS: Shelby GT500, é o Mustang mais potente de toda a história

No mercado dos comerciais leves, o Renault Master segue na liderança entre os furgões com capacidade de carga de até 3,5 toneladas de peso bruto total. O veículo teve 760 emplacamentos em fevereiro, com uma participação no segmento de 50%. Ou seja, esses números indicam bastante expressividade perante toda a Europa.

LEIA MAIS: Renault estuda chegada da picape Alaskan ao Brasil. Assista ao vídeo

Mas tem um número que pouca gente explorou: as vendas de SUVs do segmento B, que são lideradas pela Renault, com Captur e Duster. Os dois modelos são muito parecidos, para não dizer iguais, mecanicamente, mas de visual completamente diferentes. Somadas, as vendas destes dois modelos, que também atingem públicos diferentes, superaram os campeões no segmento de SUVs compactos, Hyundai Creta e o Honda HR-V . Tal como o Renault Clio , trazem as novas tecnologias da marca.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.