Tamanho do texto

Com motor de Civic Type-R, modelo quer seduzir clientes de Audi, BMW, Mercedes, Volvo, Jaguar e outras marcas de luxo tradicionais

Honda Accord 2019: linhas sóbrias do sedã de R$ 198, 5  mil escondem um coração de esportivo
Cauê Lira/iG Carros
Honda Accord 2019: linhas sóbrias do sedã de R$ 198, 5 mil escondem um coração de esportivo

A tendência natural de um cliente que esteja disposto a gastar R$ 190 mil em um sedã de luxo é partir para as marcas alemãs. O próprio Audi A4 parte de R$ 173.990, enquanto o Classe C 180 passa a custar R$ 187.900 na versão Avantgarde. Talvez este seja o motivo de vermos tão poucos Honda Accord 2019 pelas grandes cidades brasileiras. Apesar de já ter sido um dos modelos mais vendidos na América do Norte, o sedã nunca foi exemplo de “best-seller” no Brasil.

LEIA MAIS: Toyota Yarix XL 1.3 CVT mostra bom custo-benefício

Ainda no ano passado, uma de minhas publicações favoritas dos Estados Unidos classificou o Honda Accord 2019 como o melhor sedã de sua categoria, destacando a condução acertada e a diversão ao volante. Isso me deixou com pulga atrás da orelha, vindo de um jornalista que gosta de avaliar esportivos. O Accord nunca escondeu sua proposta conservadora em relação aos rivais alemães que abusam e usam da dinâmica como um dos principais critérios. Estariam os japoneses dispostos a atingir um novo público?

LEIA MAIS: Toyota Etios x VW Voyage: sedãs compactos se enfrentam no comparativo

Talvez este seja um dos motivos por trás da integração do mesmo motor 2.0 turbo, de quatro cilindros do Civic Type-R . Pisando forte no acelerador, dá para sentir toda sua potência (256 cv) e os bons 37,7 kgfm de torque puxando com vigor o sedã de 1.564 kg. De acordo com a marca, o Accord 2019 vai de 0 a 100 km/h em 5,7 segundos. 

No que diz respeito aos fiéis consumidores que vêm comprando o Accord pela sobriedade e conservadorismo, a Honda manteve as características clássicas do modelo. Suas linhas são retilíneas, mas ainda formam o estilo cupê que a Honda aposta em outros modelos. Os faróis full-LED também complementam a estética, onde as plaquetas nos refletores parecem inserções de cristais. O escapamento duplo cromado também complementa um pouco mais de esportividade à traseira que esboça traços saturados.

LEIA MAIS: Jaguar F-Type P300: gato selvagem mostra suas garras

Por dentro, a Honda tenta se distanciar dos rivais com um design muito equilibrado. Fiquei feliz pelo Accord não contar com  apliques que imitam de madeira, ou um relógio analógico no centro do painel. Ao mesmo tempo, as linhas não assustam e parecem familiares para qualquer motorista. Os comandos estão sempre à mão, de forma intuitiva e suave. Há quem goste da substituição da alavanca de câmbio por botões como um diferencial.

LEIA MAIS: Volvo V60 reafirma motivos para salvarem as peruas

Um toque da seta para a esquerda e o Accord projetará a imagem do retrovisor na central multimídia de oito polegadas, sempre com o esquadro de distância para o veículo ao lado. O sistema traz compatibilidade com Android Auto e Apple CarPlay , mas sua interface nativa já é um destaque na comparação com outros modelos da Honda. Mesmo acreditando em um mundo minimalista, sempre torço o nariz quando as fabricantes abdicam aos intuitivos botões giratórios para volume e estações de rádio. No caso do Accord, eles estão lá para facilitar a vida. O carregador sem fio para celulares no console é outro ponto para o time da Honda.

LEIA MAIS: Chevrolet Camaro 2019: a síndrome do underground

Com duas zonas de ar-condicionado, seus passageiros também terão uma viagem bem agradável, mas o inflacionado sedã deve uma terceira zona para os ocupantes do banco de trás. Dê play no vídeo acima para comprovar que o espaço traseiro faz ótimo aproveitamento do entre-eixos de 2,83 metros. Há uma verdadeira sala de estar para quatro adultos e uma criança se acomodarem com extremo conforto. Os 574 litros de capacidade no porta-malas garantem espaço mais que suficiente para a bagagem de uma família grande.

LEIA MAIS: Mercedes-Benz GLC 250: SUV grandalhão é puro status

O câmbio de dez marchas também surpreendeu, mostrando-se muito elástica e ágil. Basta pressionar o acelerador com mais força para que o Accord reduza duas ou três marchas sem trancos em uma retomada, por exemplo. Quem preferir uma condução mais esportiva também poderá trocar as marchas pelas aletas atrás do volante. Isso será assegurado pelo equilíbrio nas curvas, garantido pela suspensão traseira no arranjo multilink.

Honda Accord 2019: rumo à automação

O interior do Honda Accord 2019 aposta na sobriedade. Apesar disso, alguns recursos são de última geração
Renato Maia/Falando de Carro
O interior do Honda Accord 2019 aposta na sobriedade. Apesar disso, alguns recursos são de última geração

O Accord também traz modo de condução semi-autônoma que, infelizmente, não funciona tão bem no Brasil. Não temos críticas ao controle de cruzeiro adaptativo que mantém uma distância segura do carro da frente sem intervenções, mas o sedã tem dificuldades para ler algumas faixas mais apagadas. Isso fica muito claro em alguns trechos da Marginal Pinheiros, onde a tinta já precisa de retoques. Mesmo assim, vale mencionar que a perua Volvo V60 mantinha o controle nas mesmas condições. O piloto automático também não segura a velocidade em aclives, fazendo com que o motorista use o freio.

LEIA MAIS: Lexus NX300h: em breve, todos serão como ele

Por R$ 198.500, o Honda Accord 2019 quer cativar um público diferente - e traz todos os atributos para tal. Resta saber se os donos de Audi A4 ou C 180 Avantgarde vão abdicar o design alemão para investir num modelo japonês que anda muito, mas tem fama de não ser descolado. Antes de bater o martelo, vale a pena esperar pelo lançamento do novo BMW Série 3. Atração do Salão do Automóvel de São Paulo em 2018, o modelo chegará em breve às concessionárias.

Ficha técnica

Preço: R$ 198.500

Motor: 2.0, quatro cilindros, gasolina
Potência: 256 cv a 6.500 rpm
Torque: 37,7 kgfm a 1.500 rpm
Transmissão: automática, dez velocidades
Suspensão: McPherson (dianteira), multilink (traseira)
Freios: discos ventilados (dianteira), sólidos (traseira)
Dimensões: 4.88 m de comprimento, 1.86 m de largura , 1.46 m de altura,  2.83 m de entre-eixos 
Porta-malas: 574 litros
Tanque: 56 litros
Consumo: 9 km/l (cidade), 12,3 km/l (estrada)
0 a 100 km/h: 5,7 segundos
Vel. Máx: 203 km/h

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.