Tamanho do texto

Sem o famoso estepe na tampa do porta-malas, a marca pretende atingir um novo público. Confira as nossas impressões a seguir

Ford EcoSport 2020: novo modelo está 13 kg mais leve sem o aparato de sustentação e estepe
Cauê Lira/iG Carros
Ford EcoSport 2020: novo modelo está 13 kg mais leve sem o aparato de sustentação e estepe

Enumere os carros que já tiveram estepe preso na tampa do porta-malas na década passada. Provavelmente, virão nomes como Chevrolet Tracker, Chery Tiggo, Suzuki Vitara e Toyota RAV4. De fato, foram muitos. Mas a tendência de mercado transformou os SUVS em carros mais urbanos que aventureiros em meados de 2010, e isso acabou influenciando o design dos utilitários que conhecemos hoje: cada vez menos “jipinhos” e mais urbanos. Alguns projetistas defendem que um SUV moderno nasce de cima para baixo, com linhas esportivas que ganham um caráter mais encorpado, assim como aconteceu com o Ford EcoSport 2020.

LEIA MAIS: Andamos na nova versão de entrada do VW Jetta, que custa menos de R$ 100 mil

Além das linhas quadradas, o SUV da Ford continuava integrando o estepe acoplado à tampa do porta-malas de abertura lateral. Por este motivo, os proprietários do Ford EcoSport 2020  sempre tiveram dificuldades de acesso ao compartimento, evitando parar o carro de ré em vagas apertadas. Muitos também apontam o risco de furto. A solução para estes problemas surge com a nova versão Titanium Run Flat, que mantém a abertura horizontal, mas abdica ao estepe com um kit reparador.

LEIA MAIS: Toyota RAV4 revela os seus valores tangíveis. Confira a avaliação

Modificar a carroceria de um veículo é caro, e muitas vezes não compensa para a fabricante. Esta geração do EcoSport foi feita para contar com o estepe exposto, sem aquele famigerado molde escondido abaixo do porta-malas para uma roda temporária. A solução Run Flat surge em parceria com a Michelin para aumentar as vendas do modelo até a chegada de sua nova geração na virada da década. Ela, sem sombra de dúvidas, não contará com o estepe exposto.

LEIA MAIS: Chevrolet Tracker Midnight: como anda o SUV compacto da GM?

Pneus "run flat" contam com flancos, ombros e talões reforçados que permitem suportar o peso do veículo em caso de perda de pressão. De acordo com a Michelin, é possível andar aproximadamente 80 km com velocidade limitada a 80 km/h com o pneu avariado. Com o uso do kit selante, este percurso pode ser estendido para 200 km. Mas existem vantagens e desvantagens em seu uso.

LEIA MAIS: Hyundai Creta x Citroën C4 Cactus: qual SUV é melhor?

De acordo com a Ford, pneus "run flat" são mais seguros para a integridade do cliente. Não há a necessidade de parar o carro para fazer a troca emergencial em uma região perigosa, por exemplo. As seguradoras também entendem que este tipo de tecnologia deixa seus consumidores menos vulneráveis, garantindo cotações reduzidas para os proprietários do EcoSport Titanium Run Flat. A Mapfre Seguros, por exemplo, oferece uma cotação de R$ 2.088 pelo seguro do EcoSport. A cotação mais cara é do Honda HR-V , na casa dos R$ 4,3 mil - mais que o dobro.

Por outro lado, o kit reparador com selante e compressor de ar custa R$ 400. Sem falar nos pneus "run flat", que encostam nos R$ 900 por unidade (aproximadamente 35% mais caro que os modelos convencionais).

LEIA MAIS: Honda HR-V 2019 encara o Nissan Kicks: quem leva a melhor?

Para mostrar a efetividade da nova tecnologia Run Flat do EcoSport, a Ford nos levou para sua pista de testes em Tatuí, no interior de São Paulo. Foi um test-drive inusitado, uma vez que os engenheiros da marca perfuraram os pneus com uma furadeira antes de partirmos para a pista. 

O computador de bordo do Ford EcoSport 2020 conta com leitura da pressurização dos pneus
Cauê Lira/iG Carros
O computador de bordo do Ford EcoSport 2020 conta com leitura da pressurização dos pneus

Em uma pista controlada, é possível levar o Ford EcoSport com o pneu despressurizado à condições extremas. Não fizemos testes em piso molhado, mas o slalom mostrou que o SUV aguenta fazer curvas em alta velocidade com segurança. Claro, a recomendação da marca é que a condução seja a mais segura possível, sem manobras ousadas. Mas é bom saber que ele aguenta. Vale lembrar que ele possui controles de estabilidade e tração para garantir o bom desempenho.

LEIA MAIS: Jeep Compass 2019: líder de vendas da categoria evolui

No curto percurso até a pista de Tatuí pela Rodovia Castelo Branco (com todos os pneus devidamente pressurizados) pude perceber que o EcoSport Titanium Run Flat está um pouco mais rígido por conta da inflexibilidade dos materiais do "run flat". Imperfeições do solo são passadas com mais precisão para a cabine, mas nada que atrapalhe o percurso. No próximo mês, traremos o modelo à nossa redação para o veredito sobre seu uso urbano.

LEIA MAIS: Mitsubishi Eclipse Cross 2019: o segredo do equilíbrio

Sem o estepe e todo o aparato de acoplamento na tampa do porta-malas, o EcoSport Titanium ficou 13 kg mais leve em relação ao modelo anterior. Isso não chega a refletir no desempenho do motor 1.5 de 137 cv e 16,2 kgfm na estrada, com câmbio automático de seis marchas. A partir de agora, o motor 2.0 de 176 cv fica restrito ao modelo Storm, com tração integral.

Um novo Ford EcoSport 2020

O Ford EcoSport 2020 tem um dos melhores sistemas multimídia da categoria, o Sync 3 com tela sensível  ao toque
Divulgação
O Ford EcoSport 2020 tem um dos melhores sistemas multimídia da categoria, o Sync 3 com tela sensível ao toque

A partir de agora, a marca terá duas versões topo de linha para o Ford EcoSport 2020 . O modelo Titanium 1.5 com uma pegada mais urbana e pneus run flat por R$ 103.890; e o aventureiro Storm com tração 4x4 e motor 2.0 de R$ 108.390. As versões básicas 1.5 SE e FreeStyle continuam contando com o estepe na traseira, e a Ford se diz aberta à possibilidade de lançar versões Run Flat mais baratas, dependendo da demanda do mercado. Confira a ficha técnica abaixo.

Ficha técnica

Preço:  a partir de R$ 99.990

Motor: 1.5, três cilindros, flex

Potência: 137 cv a 6.500 rpm

Torque: 16,2 kgfm a 4.500 rpm

Transmissão:  Câmbio automático, seis marchas, tração dianteira

Suspensão: Independente (dianteira) e eixo de torção (traseira)

Freios: Discos ventilados na dianteira e tambor na traseira

Dimensões: 4,27 m (comprimento) / 1,77 m (largura) / 1,69 m (altura), 2,52 m (entre-eixos)

Tanque : 52

Consumo: 6,8/9,8 km/l com etanol/gasolina na cidade e 8,2/11,6 km/l com etanol/gasolina na estrada

Porta-malas: 356 litros 

Vel. Max: 180 km/h

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.